• 24/01/2013 - Poesias

    Elogio da incoerência – 1

        Por conta de umas questões paralelas envolvendo casamento, celibato, castidade, a doutora Lúcia Evaristo lançou-me numa querela sobre amor, alianças e o caminho da santidade.   Brandindo nas mãos um chicote moral advertiu-me sobre o fogo do inferno. … Leia mais

  • 24/01/2013 - Poesias

    Náufrago do Carandirú

      Eu quero ir para a Ilha de Caras. Lá todo mundo é feliz. Se não é, põe a máscara e abre um sorriso em xis.   Mulheres bonitas, ninguém veste luto. Alegria infinita festeja-se tudo.   Na galáxia de … Leia mais

  • 24/01/2013 - Poesias

    Inventário de Misérias

      O que seria possível fazer para cultivar a boa semente extirpar a erva daninha o veneno da serpente no escárnio do teu sorriso.   A ilusória virtude, a fugidia beleza, o tesouro da juventude, o somatório de certeza, desfizeram-se … Leia mais

  • 23/01/2013 - Poesias

    Aprumou-se, entonces

        Eu te conheci, e não te reconheci, caída, abandonada, sofrida. Agora te ergues das cinzas forte, renovada, bonita.       No entanto, à luz de todo o encanto, o teu olhar não brilha e tu sabes que … Leia mais

  • 23/01/2013 - Poesias

    A superioridade da mulher

    Em tempos remotos o sexo dos anjos se discutia. A polêmica vazia em filigranas no tempo se perdia.     Ainda hoje desvai-se o tempo em alegorias. Se o que parece melhor, um campeão, é na verdade uma fraude, frustração. … Leia mais