24/01/2013 - Poesias

Elogio da incoerência – 1

 

 

Por conta de umas questões paralelas
envolvendo casamento, celibato, castidade,
a doutora Lúcia Evaristo lançou-me numa querela
sobre amor, alianças e o caminho da santidade.

 

Brandindo nas mãos um chicote moral
advertiu-me sobre o fogo do inferno.
Eu, admito, um pecador, pobre mortal,
temi pelo meu futuro no paraíso eterno.

 

Doutora Lúcia exigiu-me coerência
e com maestria tentou dar-me um nó.
Eu lhes peço de antemão indulgência,
mas coerência para cima de mim, aqui ó.

 

 

Notas & Informações

 

Lúcia Evaristo


Eu e Lúcia Evaristo, diretora da Biblioteca do Superior Tribunal de Justiça, discutíamos namoro, sexo, casamento sob a ótica religiosa da proibição de comunhão para divorciados. Sou católico apostólico romano, mas não aceitava o veto da igreja.

 

Márcio


Meu amigo fraterno Márcio Carvalho Britto chamou-me a atenção. Por exemplo, ele não comungava. Eu também não deveria fazê-lo.

 

 

monsenhor Marcony


Consultei o monsenhor Marcony Vinicus Ferreira, meu  confessor e orientador, e confirmou-se meu erro. Agora obedeço. Assisto a missa e não comungo.

 

 

 

 

escrito em 28 de março de 2004

 

publicado em 20 de agosto de 2007